sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Ata da Conclusão do Curso de Chefia e Liderança no Serviço Humanitário

 Faculdade Episcopal de Teologia

Ata da Conclusão do Curso de Chefia e Liderança no Serviço Humanitário concluído em 16 de dezembro de 2017 às 16:20 horas, no centro de Treinamento da Patrulha Aéreas Civil,  devidamente Inscrita no CNPJ 28.255.016/0001-64 e situada na Av. Cesário de Melo, Nº 6.851 Inhoaiba – RJ. O conteúdo do curso ministrado em seis semanas com c. h de 240 / 360 h. a. e com estágio supervisionado, tendo o seguinte conteúdo: O VOLUNTARIADO NO BRASIL E NA ASSISTÊNCIA HUMANITÁRIA * FINALIDADE * OBJETIVOS ESPECÍFICOS * SUPORTE BÁSICO DE VIDAS * ORDEM UNIDA; O VOLUNTARIADO NO BRASIL * O SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA HUMANITÁRIA E A PRESTAÇÃO DE SERVIÇO VOLUNTÁRIO * AS AÇÕES DE ASSISTÊNCIA HUMANITÁRIA; APH (ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR) - 2º Sgt PAC Siqueira;  PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS – 3º Sgt Melquiades; O VOLUNTÁRIO E A DOUTRINA DE VOLUNTARIADO * VOCÊ SERVE PARA PRESTAR UM SERVIÇO VOLUNTÁRIO? * A FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DO SERVIÇO VOLUNTÁRIO * PARADIGMAS QUE APOIAM À PROMOÇÃO DO SERVIÇO VOLUNTÁRIO NO BRASIL * QUEM SÃO OS ATORES NO SERVIÇO VOLUNTÁRIO? * A EMPREGABILIDADE DOS RECURSOS HUMANOS NO SERVIÇO VOLUNTÁRIO; AS PECULIARIDADES DA ARREGIMENTAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS PARA O SERVIÇO VOLUNTÁRIO * PARA A ADMISSÃO AO SERVIÇO VOLUNTÁRIO * O QUE É SER VOLUNTÁRIO? * O QUE MUDOU NO PERFIL DO VOLUNTÁRIO? * PARADIGMAS DA CHEFIA E LIDERANÇA; LIDERANÇA * O QUE É LIDERANÇA? * TEORIAS DA LIDERANÇA * TIPOS DE LIDERANÇA * PECULIARIDADES DA LIDERANÇA; DIFERENÇAS NA LIDERANÇA * O CHEFE E O LÍDER; AS RELAÇÕES DE PODER NA CHEFIA E LIDERANÇA * O PODER * FORMAS DE PODER * REFLEXÕES NECESSÁRIAS * PODER REAL x PODER ECLESIÁSTICO; SENTIMENTOS DE PODER * UMA ANÁLISE DO PODER EM RELAÇÃO À “POTÊNCIA” * UMA ANÁLISE DO PODER EM RELAÇÃO À “POLÍTICA” * UMA ANÁLISE DO PODER EM RELAÇÃO À “FORMA”; Palestras: Didática - 1º Ten PAC Mara França; Homilética 1 Ten PAC Eustáquio; Serviço Humanitário 2º Ten PAC Edson Xavier; Logística - 3º Sgt PAC Bruno Melquíades; Comunicação VTR - 2º Ten PAC Vanderlei de Jesus; Coordenação: Ten Cel PAC Nogueira Estando todos de acordo e não havendo nada mais a tratar a reunião foi encerrada e a ata lavrada por mim  (Reverenda Liliane da Silva Bragança) é assinada pelo presidente da CONVENÇÃO ECLESIÁSRICA FILHOS DA PROMESSA.

Relação de Alunos Formados

Capitão PAC 01.186-17 EVANDRO PORTILHO DOS SANTOS: Documentalista com Bacharelado em Teologia e Perito Ambiental.

Capelão Eustáquio Ribeiro da Silva: 1º Tenente PAC / Chefe do Serviço de Capelania / Bacharel em Teologia / Pós-Graduando em Ciências da Religião Pastor da Assembléia de Deus (CONAMAD Mat 808/0);

1º Ten PAC 01.194/17 EDSON LUIZ RODRIGUES DA SILVA: Investigador Particular com Bacharelado em Teologia  

1º Ten PAC 157.260.726-2 MARA AGRENTINA FRANÇA: Nutricionista e Socióloga com Especialização em Educação

Capelão Vanderlei de Jesus: 2º Tenente PAC / Músico; Corneteiro de Primeira Classe;  Bacharelando em Teologia / Pastor da Assembléia de Deus (CEADER Mat. 3376); Dirigente de Congregação; Técnico em Logística; Operador Radiotelefonista Reg 16914; Reservista 1ª Classe do EB

Aspirante a Of PAC 11.506-17  Cristina Bernardino da Silva: Graduada em Educação Física (Bacharelado e Licenciatura)

Capelão Edson Xavier do Nascimento: Aspirante a Oficial PAC / Bacharel e Mestre em Teologia / Pós-Gradado em Ciências da Religião / Pastor na Igreja Episcopal Filhos da Promessa - Missionário em Jardim América  / Reservista 1ª Classe do EB

João Paulo dos Santos Siqueira: 2º Sargento PAC / / Bombeiro Profissional Civil (Instrutor) / Graduando em Teologia (FAETE); Técnico em Ortodontia.

Capelão Auxiliar Bruno Daniel Melquiades da Silva: 3º Sargento PAC / Presbítero na Igreja Metodista Ortodoxa / Graduando em Logística (UNOPAR); Reservista 1ª Classe do EB

Capelão Auxiliar Leonardo Lino Soares dos Santos: 3º Sargento PAC / Evangelista na Igreja Assembléia de Deus; Reservista 1ª Classe do EB.

Aluno CFC PAC 11.502-17 Leandro da Costa: Ensino Médio Completo

Aluna PAC 11.503-17 Jozielhia Mendes Arcanjo  de Sampaio: Ensino Médio Técnico em Enfermagem

Aluno PAC 11508-17 Thelson Lopes da Silva: Ensino Médio Completo / Reservista de 1ª Classe EB (PE)


Aluno PAC 11509-17 Fábio Lira da Silva: Ensino Médio Completo / Reservista de 1ª Classe EB / Bombeiro Profissional Civil

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Capacitação em Jornalismo



Curso de Capacitação em Jornalismo

Objetivo: Capacitar os Jornalistas a exercer o ofício com noções básicas em comunicação pertinentes a área.
Um curso de Capacitação de seis módulos e totalmente a distância que é ideal para quem busca uma qualificação rápida e eficiente.
Com direito a Registro Profissional como Jornalista.

Módulos:
Conceitos Básicos
Modalidades
Produção da Notícia
Especializações
Redação Jornalística
Questões Éticas e Profissionais

No curso também haverá um trabalho de campo supervisionado e após a conclusão do curso a indicação para atuação junto a trabalhos voluntários e sociais.
Inclusa no Valor do Curso a Certificação; Credenciamento junto a Coordenadoria de Comunicação da CEFIP e Registro de jornalista na DRT/MTE.

Exigência para o Curso: Ensino médio Completo.
Documentação: RG; CPF; Comprovante de Residência; CTPS; Título (Xerox) e 2 fotos ¾ .
Para os portadores de Graduação o Curso será em Nível de Pós-Graduação Latu Sensu e se acrescentará a Matéria Didática do Ensino Superior e o TCC.


Coordenação: Prof. Elias Batista Nogueira – Ph.D.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Sínodo 2017 - Convocação

Sínodo 2017 - Convocação

Prezados Membros da CEFIP


Na qualidade de Patriarca desta Comunhão, sirvo-me do presente para convocar Vossas Senhorias a participarem do Sínodo Anual a se realizar no próximo dia 15 de novembro do ano em curso 15 de Novembro do corrente ano com inicio as 09:00 hs e término as 17:00 na Rua Alexandre Rangel nº 28 - (Vila Guimarães) Parque da Biquinha / Austin / Nova Iguaçu - RJ; Contato: 21 97395-5699 - Referência - Rua em Frente ao Supermercado Prendas).

Informo ainda que é lícito aos Presidentes de Igrejas filiadas se fazerem representar.

A ausência dos Ministérios Convencionados não os desabriga de aceitarem como tácita concordância aos assuntos que forem tratados e deliberados.

Atenciosamente,

Dom Elias Batista Nogueira
Presidente e Primaz


quinta-feira, 11 de maio de 2017

Padronização da Carteira de Identificação Estudantil definida pelas entidades

Padronização da Carteira de Identificação Estudantil definida pelas entidades



A lei nº 12.933/13 atribuiu às entidades nacionais de representação estudantil (ANPG, UNE e Ubes) a competência de padronizar nacionalmente o modelo de emissão da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) para a concessão do benefício da meia-entrada.
Nesse sentido, a lei estabelece que as CIEs emitidas pelas entidades nacionais, estaduais e municipais, pelos Diretórios Centrais dos Estudantes (DCEs) e pelos Centros e Diretórios Acadêmicos deverão seguir modelo único nacionalmente padronizado pelas entidades nacionais e pelo Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), com certificação digital deste.
Por conta de liminar concedida pelo STF em ação direta de inconstitucionalidade proposta contra alguns termos da lei nº 12.933/13, no período de 1º de fevereiro a 26 de abril do corrente ano (data em que a decisão mencionada foi reconsiderada a pedido da Advocacia-Geral da União), a atribuição de criar o modelo da CIE recaiu momentânea e exclusivamente ao ITI, que publicou em 18 de março a Portaria ITI nº 01/2016 estabelecendo alguns critérios para a padronização do documento.
No entanto, em virtude da reconsideração da liminar, a responsabilidade pela padronização nacional de emissão da CIE foi reestabelecida às entidades nacionais de representação estudantil.
Neste cenário, cumprindo com o seu dever legal, a ANPG, UNE e Ubes disponibilizam a “Padronização da Carteira de Identificação Estudantil definida pelas entidades nacionais de representação estudantil”, visando tornar o benefício da meia-entrada um meio justo e efetivo de acesso a eventos culturais e esportivos aos estudantes de todo o Brasil, através de critérios que deverão ser observados pelas entidades emissoras para a elaboração da carteira, seu processo de emissão e a inserção das informações dos estudantes no banco de dados nacional para consulta do Poder Público, estabelecimentos, produtoras e promotoras de eventos.
Sem prejuízo da padronização ora publicada pelas entidades nacionais, considerando o período de validade da Portaria ITI nº 01/2016 e a real possibilidade de Carteiras Estudantis terem sido expedidas conforme o modelo nela publicado, defendemos que deverão ser consideradas como aptas a conferir o benefício, até a data de 31 de março de 2017, tanto as CIEs padronizadas conforme o modelo ITI, como as que observam a padronização publicada pelas entidades nacionais, para que o direito à meia-entrada dos estudantes seja sempre resguardado.
Com isso, a recusa por parte dos estabelecimentos comerciais da CIE emitida pelo padrão ITI passará a ser legítima a partir de abril de 2017.
Na defesa dos interesses e direitos dos estudantes, as entidades nacionais de representação estudantil se comprometem a fiscalizar o cumprimento das leis, especialmente quanto à venda de ingressos com o benefício, a aceitação da CIE emitida de acordo com a padronização nos termos acima expostos, bem como quanto ao respeito da cota de no mínimo 40% de ingressos disponíveis para cada evento.

terça-feira, 9 de maio de 2017

Nomeação de Representação para o estado do PE e Limítrofes

Prof. Flavio José Ramos da Silva
Coordenador da FAETE / PE
Pós Graduado em Teologia
Mestrando em Administração de Empresas

A partir desta data fica o Pastor Flavio Jose Ramos nomeado como Coordenador da Faete para o estado de Pernambuco e Limítrofes com poderes de representação para todo o Brasil.

Dom Elias Batista Nogueira / Reitor



segunda-feira, 8 de maio de 2017

Evento da Feblaca


Instituição Cultural com relações Nacionais e Internacionais, visando ampliar seu conhecimento em todos os campos.

Seguem algumas imagens desta importante parceira da FAETE em evento realizado em 05 de Maio de 2017 em comemoração do 5º ano desta respeitável instituição na Câmara Municipal de Niterói.



Dr Elias Batista Nogueira
Reitor da FAETE
Acadêmico Imortal da FEBLACA
Cadeira 49 / Patrono: Rei Ramiro II de Leão






Nesta ocasião foi concedido ao Professor Iguaci Luiz de Gouveia Junior o Título de Notório Saber em Teologia com concentração na área de Educação Religiosa.



A Esquerda Professor Iguaci Jr







A "Federação Brasileira dos Acadêmicos das Ciências, Letras e Artes" - FEBACLA, tem a missão de Capacitar, Credenciar, Reconhecer e Honrar os Acadêmicos das Três Áreas, a saber:
CIÊNCIAS, LETRAS E ARTES.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Homilética - A arte de Pregar

São pelo menos três, os tipos mais comuns de sermões:
O sermão expositivo 
O sermão textual 
O sermão tópico
Vamos explicar um pouco de cada um deles:
1- O Sermão EXPOSITIVO
Consiste na exposição mais completa possível de um texto seguido da aplicação de persuasão argumentação e exortação. Uma das principais características desse tipo de sermão é que ele visa extrair e expor os principais pontos do capítulo, parágrafo (perícope) ou ainda do livro da Bíblia do qual se está tratando.
Para pregar expositivamente, deve-se procurar conhecer profundamente o texto abordado, seu contexto dentro do livro, etc. O sermão expositivo não dispensa a introdução e conclusão coerentes.
2- O Sermão TEXTUAL
No sermão textual, emprega-se geralmente uma passagem bíblica curta. O texto é analisado e resolvido em suas partes e a estrutura do sermão pode basear-se em divisões naturais (as que o próprio texto sugere, oferece).
O sermão textual pode ainda ser construído sobre as implicações do texto como um todo. O sermão textual é na sua essência bem semelhante ao sermão expositivo, contudo é mais centrado no texto.
3- O Sermão TÓPICO
Quanto ao sermão tópico, pode-se dizer que não mantém necessariamente uma relação analítica com uma passagem específica das Escrituras. Trabalha sobre um determinado tema, buscando argumentos em vários textos da Bíblia. Seria como um ‘estudo bíblico’ (guardadas as devidas proporções).  Também pode ser chamado de Sermão Temático.
-CONCLUSÃO: Nem sempre estes “tipos de sermão” são facilmente identificados na pregação. Em alguns momentos pode parecer que eles se misturam num mesmo sermão.
O pastor Ricardo Gondin faz uma “defesa” do sermão expositivo cuja tese básica concordamos:
- O sermão expositivo não quer dizer necessariamente que tem de se expor todo o texto, verso por verso, mas expor o conteúdo dele, trazer à luz a Palavra de Deus. 
- Pregar expositivamente nos liberta, porque nos faz pregar somente aquilo que Deus quer de falar. Pregar expositivamente esvazia tensões. 
- Pregar expositivamente exige maior preparo ao pregador, demandando mais cuidado e estudo das Escrituras. 
- Martin Lloyd Jones pregou 12 anos em Romanos todos os domingos e não conseguiu terminar... A bíblia é fonte inesgotável. Como a mulher samaritana disse à Jesus: o poço é fundo...!
Pregar expositivamente é uma coisa que pode demandar um bom tempo de treinamento e preparo. Ê uma “arte” que vai se aprendendo com o passar do tempo.